Terça-feira, 1 de Setembro de 2009

-Envolveremos os cidadãos e as organizações da sociedade civil na concepção e execução  de soluções para prestação de melhores serviços públicos.
- Apoiaremos e encorajaremos uma relação de colaboração entre os utentes e os serviços, para serviços personalizados, autónomos, profissionais e responsáveis perante o utente.
- Fomentaremos  a utilização em larga escala das novas tecnologias na actividade e na comunicação da Administração Pública, caminhando para a eliminação da utilização do papel e induzindo nos cidadãos o recurso a essas tecnologias.
Podemos ler estas três orientações no Programa do PSD. Estas linhas de acção mostram que o PSD entende que o desafio para a Administração Pública é o da mudança de paradigma.
De um paradigma que tem já décadas, próprio de um estado centralizador, pré web, para um novo paradigma. Neste, os cidadãos já não são meros receptáculos de decisões tomadas por outrém dotado de ius imperium, mas são eles próprios (também) fazedores em primeira instância das decisões que os afectam.
Ou seja, de um modelo de comando e controlo, temos de passar para um modelo colaborativo e de participação colectiva e de uso intensivo das novas tecnologias na relação Administração/administrado.
Este é o desafio que o nosso país enfrenta. Trata-se, afinal, de alcançar mais uma etapa na concretização da democracia representativa.

Sofia Rocha, no "Novas Políticas"



publicado por Política de Verdade às 11:00
1 de Setembro, 2009 | link do post | comentar

 
Donativos

Donativos

Redes Sociais