Quinta-feira, 10 de Setembro de 2009

É interessante que todos prestemos atenção a uns pequenos números sobre o TGV, números esses que, infelizmente, ainda não foram trazidos para o debate público por nenhum partido. Segundo o Panorama of Transport, um relatório do Eurostat publicado em 2009, Portugal tem um total de 519 quilómetros de linha de alta velocidade programados. A linha entre Lisboa e a fronteira, com 207 quilómetros, tem o início da construção programado para 2013. A linha entre Lisboa e o Porto, com 312 quilómetros, tem o início da construção programado para 2015.

 

Nos restantes países europeus os números são um pouco diferentes. Há, actualmente, apenas sete países na EU com alta velocidade. A saber: França, Inglaterra, Itália, Holanda, Reino Unido, Bélgica e Espanha. Se as duas linhas avançarem, Portugal, para além de ser o oitavo país dos 27 a entrar na rede, passará para o quinto lugar na dimensão da rede. Portugal, país cuja riqueza deixa muito a desejar e cujo endividamento deixa muito mais, terá mais rede ferroviária que países como a Holanda, a Inglaterra ou a Bélgica. Isto com apenas duas linhas. Uma análise atenta ao relatório permite ainda constatar que a entrada na RAVE por parte dos países europeus tem sido feita sempre de forma muito contida, sempre com pequenas linhas e com períodos de construção alargados. Num país dos citados, provavelmente seria construída uma linha num ano e só passados alguns anos se começaria a pensar na outra, principalmente se fossem linhas da dimensão da nossa.
Infelizmente, no país dos «avanços», das «modernidades», de todas as pantominadas e discursos messiânicos (lembram-se de quão importante ia ser o Euro’04. Portugal ia «avançar» imenso!), tudo é feito sem controlo, sem estratégia e sem pensamento a longo prazo ou gestão do risco.

 

Tiago Moreira Ramalho, no "Jamais"


tags:

publicado por Política de Verdade às 12:44
10 de Setembro, 2009 | link do post | comentar

 
Donativos

Donativos

Redes Sociais